Traduzir blog

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Bem-Vindo



Ao ler um artigo, dê um click em + 1 ou compartilhe na sua rede social!!!


sábado, 12 de junho de 2010

Ano Sacerdotal termina com Missa multitudinária

Estimados leitores, esta notícia é um texto da página Zenit, recomendo que entre para saber notícias da Igreja. EHC
Ano Sacerdotal termina com Missa multitudinária
Mais de 15 mil sacerdotes presentes no evento com o Papa
Por Carmen Elena Villa
CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 11 de junho de 2010 (ZENIT.org) - A imagem do Santo Cura de Ars era o centro da fachada da basílica de São Pedro na manhã de hoje, na Missa concelebrada por 80 cardeais, 350 arcebispos e bispos e 15 mil sacerdotes dos 5 continentes, por ocasião do encerramento do Ano Sacerdotal.
Como é costume e para mostrar sempre o caráter universal da Igreja, as leituras foram realizadas em diversos idiomas e prepararam os fiéis para a leitura do Evangelho sobre a ovelha perdida. O Papa, em sua homilia, ao falar da vocação sacerdotal, disse: "Deus se vale de um homem, com suas limitações, para estar, por meio dele, presente entre os homens e agir em seu favor".
Depois da homilia, os sacerdotes renovaram as promessas feitas no momento de sua ordenação, reafirmando sua união com Cristo, renunciando a si mesmos e confirmando o sagrado compromisso, a fidelidade ao ministério e a obediência, ao deixar-se guiar somente pelo amor aos irmãos.
Um ano de conversão pessoal
Zenit falou com alguns sacerdotes sobre sua experiência no Ano Sacerdotal, bem como durante os eventos de sua conclusão, em Roma.
Para o Pe. Tomas Surlis, da diocese de Achorny (Irlanda), um dos aspectos em que mais aprofundou nestes dias foi o fato de que o sacerdócio "não é só um trabalho, mas uma vocação e uma profunda identificação".
O Pe. Armando Cruz Ventura, da diocese de San Miguel (El Salvador), disse, por sua vez, que nestes dias "recordamos nossas paróquias e sentimos o orgulho de ser católicos e de vir à rocha de Pedro para confirmar que a Igreja abre suas portas à vida e à esperança!".
Já o Pe. Alejandro Bertolini, da diocese de San Isidro (Argentina), disse que o maior fruto deste ano em sua vida é o da "conversão pessoal". Foi um ano que lhe permitiu "deixar-me tocar pelos sinais dos tempos".
"Esta guerra midiática contra a Igreja e a partir do pecado da Igreja me fez refletir e entrar em sintonia não somente com a Igreja, mas também com as vítimas", disse o sacerdote, em diálogo com ZENIT.
No final da celebração, o Papa consagou os sacerdotes a Nossa Senhora (cf. Oração de consagração em ZENIT, 12 de maio de 2010), suplicando: "Mãe da Igreja, nós, sacerdotes, queremos ser pastores que não se apascentam a si mesmos, mas se oferecem a Deus pelos irmãos, nisto mesmo encontrando a sua felicidade. Queremos, não só por palavras, mas com a própria vida, repetir humildemente, dia após dia, o nosso ‘eis-me aqui'".

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Esporte e vida!

E que pode ensinar-nos o futebol ou esporte em geral?

Bem o próprio Nelson Mandela para iniciar a mudança cultural do país sede da copa, usou de um esporte como aí para unir diversa tribos, brancos e negros sobre a mesma paixão e a partir daí fazer uma alteração social, isso vocês podem ver melhor no filme de história verdadeira, Invictus.

São Paulo ao exortar a comunidade de Corinto à fidelidade usa uma imagem muito expressiva e acertada, I Cor 9, 24: “Nas corridas de um estádio, todos correm, mas sabeis bem que um só recebe o prêmio, correi, pois, de tal maneira que o alcanceis”. Nosso caminho de salvação é uma “competição” contra o mundo, o pecado, e nós mesmos. Notamos assim o grande alcance do esporte, e mesmo em nossa vida dos cristãos pode servir de auxílio para a formação humana, que é base para uma boa vida espiritual. Já diz o ditado popular: “se conhece o homem na mesa e no campo”.

O Papa João Paulo II gostava de subir montanhas e andar de caiaque, ademais de ser goleiro quando jogava futebol.
O Sumo Pontífice, em 1984 valorizou o esporte em uma alocução, por ocasião do jubileu dos desportistas, no Ano Santo da Redenção:

Através da metáfora da sadia competição desportiva, o apóstolo põe em evidência o valor da vida, comparando-a a uma corrida rumo a uma meta não só terrestre e passageira, mas eterna, uma corrida em que não só um, mas todos podem ser vencedores.

São Dom Bosco conquistava a juventude com seu carisma, além disso, praticava esportes de maneira muito alegre e sadia com os jovens.

Papa Bento XVI também enfatizou a importância do esporte dizendo que o esporte pode promover o desenvolvimento da pessoa “quando é vivido com espírito adequado e respeitando a dignidade; o esporte ajuda a promover o desenvolvimento da pessoa.”

O Papa enfatiza a importância da relação entre corpo e espírito, de estarem sempre em harmonia: “Quando se pratica o esporte profissionalmente há que preservar a harmonia interior entre corpo e espírito para não reduzir o esporte só a mera busca de resultados.”

Um grupo chamado “Mensageiro da Paz” conseguiu unir um povo marcado pela difícil situação de seu país: o povo do Iraque. A seleção iraquiana, uma “equipe multiétnica formada por árabes e kurdos, sunitas e xiitas” foi a ganhadora da ultima Copa da Ásia.

Percebemos no esporte feito de maneira sana, ou vivido como torcida de maneira sana a dimensão social, pelo fato do homem ser por natureza um ser social, o futebol é uma das maiores expressões disso porque não se pratica só, como é bom reunir com os amigos para “jogar uma bolinha” e descansar, a não ser que jogue no vídeo game contra uma máquina. Depois o bom ou mau exemplo que um esportista pode dar, pois ao ser visto e admirado profissionalmente por muita gente, são exemplos e pena que muitas vezes são maus. Serve ainda para descansar a mente, descarregar as tensões, não quero dizer no sentido de jogar duro para lesionar os outros como loucos, sem razão.

Temos que ser torcedores ou praticadores de algum esporte, mas lembremos de fazê-lo sempre de maneira saudável, sem exageros, é muito penoso ver brigas entre pessoas, às vezes chegando à morte por um time ou algo assim.

Aproveitemos o lado bom do esporte, e agora em época de Copa do Mundo, vivamos esta festa mundial de modo bom e sano.

Viva o Brasil!!!

EHC

Brasil-sil-sil!!

Estimados leitores do outro lado da tela. Saudações, desculpe ultimamente não escrever, asseguro que não é diligência senão mas bem falta de tempo.

O Brasil é mundialmente conhecido por ser o país do futebol e não é para menos dado que 20 de nossos 23 jogadores da seleção jogam fora do país, na Europa quase todos os jogos de campeonatos e times importantes tem um brasileiro na equipe, e também que se juntássemos os brasileiros nacionalizados e que jogarão o Mundial de Futebol dá um total de 11 ou 12 ou seja, um time completo.

Dia 11 começa a maior festa do futebol mundial, com país de sede a África do Sul, um país marcado por guerras, diferenças sociais e a esperança de um povo que se expressa na figura de Nelson Mandela, o ponto de partida, a luz no fim do túnel, da paz deste povo.

Nossa seleção estréia dia 15 e mesmo que os espanhóis já se acham campeões, a equipe brasileira apesar de as vezes não convencer muito creio que terá grandes chances e o fato de não chegar com toda a pompa de favorita mais que atrapalhar creio que nos ajuda.

Pois, desfrutemos neste dias de um bom futebol, de festa, e que o jogo possa ser limpo.

Alia jacta est (A sorte está lançada), que vença o melhor.

EHC

Receba cada novo artigo no seu e-mail. Basta por seu e-mail, clicar em submit, logo as letras.